Água universal e saneamento no Gana através da descentralização

5 min read

Embora a abordagem distrital de gestão descentralizada dos serviços de água, saneamento e higiene (WASH) tenha sido bem sucedida em muitos países africanos, ela tropeçou no país onde foi projetado: Gana. Seyram Asimah, do WaterAid Gana, Diretor do Programa — Sul, e Aicha Araba Etrew, Diretor de Políticas, discutem por que isso é, e por que é crucial que os cidadãos falem e exijam os seus direitos.

Em 2015, os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), também conhecidos como Agenda 2030, tornaram-se a peça central do discurso global sobre desenvolvimento e redução da pobreza. O Objetivo 6, para garantir a disponibilidade e gestão sustentável de água e saneamento para todos até 2030, alinha-se com o foco estratégico da WaterAid de chegar a todos em todos os lugares.

A principal tarefa em questão é caminhar pela conversa dessa visão. Este ano, a WaterAid Ghana iniciou uma estratégia nacional de cinco anos para garantir que o Gana esteja no caminho para a cobertura universal do WASH até 2021.

Community WASH situational analysis using the scorecard methodology in Wa East District, Ghana.
Análise situacional da comunidade WASH utilizando a metodologia de cartões de pontuação em Wa East District, Gana.
WaterAid

Nosso objetivo é tornar a estratégia realidade por meio da programação da abordagem distrital (DWA). O conceito DWA coloca as assembleias metropolitanas, municipais e distritais (MMDAs) na liderança do desenvolvimento, com maior responsabilidade de estender os serviços de WASH a todos dentro de seus distritos, incluindo as pessoas mais marginalizadas. Ao abrigo deste processo, a WaterAid Gana e outros intervenientes no desenvolvimento fornecerão apoio técnico sempre que necessário.

A abordagem em todo o distrito no Gana

É claro que não se pode implementar essa estratégia sem consulta adequada com potenciais parceiros e reunir informações sobre os problemas. Em 2014, a WaterAid Ghana encomendou pesquisas sobre o conceito DWA, liderado por Timeyin Uwejamomere, Gerente de Suporte Técnico da WaterAid UK. O estudo analisou o conceito de descentralização em Gana, que vê o governo central transferindo governação para níveis locais e coordenando relações internas com e entre assembleias locais através de dez regiões administrativas no contexto do WASH.

A Timeyin compartilhou as principais lições e ações da pesquisa com as partes interessadas em um evento paralelo organizado pela WaterAid Ghana na conferência WEDC (Water, Engineering and Development Centre) 2016 em Kumasi, Gana, em julho. As principais conclusões centradas em torno de: planeamento estratégico de longo prazo por MMDAS; os papéis, estruturas e capacidade desses MMDAS para implementar programas; as plataformas de coordenação das partes interessadas existentes e a capacidade dos MDA de os utilizar; as fontes de financiamento MMDAS; e a prestação de contas em todos os níveis.

Uma série de partes interessadas participaram do evento, incluindo: membros do comité parlamentar seleto sobre governo local e desenvolvimento rural; funcionários da agência nacional responsável pela água rural e saneamento — a Agência Comunitária de Água e Saneamento (CWSA); IRC Gana; UNICEF; Instituto de Governo Local Estudos; funcionários da WaterAid da Índia, Gana, Reino Unido, Mali, Níger, Burkina Faso e Senegal; e mais de 50 participantes locais e internacionais da conferência WEDC.

As discussões centradas na questão da liderança fraca e da baixa capacidade dos MDA do Gana para fornecer serviços WASH. No centro disso estava uma aparente falta de devolução para os MMDAS, resultando em uma taxa de desenvolvimento menor do que o esperado do setor WASH de Gana. Uma das recomendações do estudo - incorporar a CWSA na estrutura do MMDA para abordar a questão da fraca capacidade, dando aos MMDAS a oportunidade de implementar projetos diretamente - foi debatida pelos participantes, com alguns concordando e outros não. Em resumo, a necessidade de soluções específicas mensuráveis atingíveis realistas e oportunas (SMART) para fortalecer o conceito de descentralização na prática foi destacada.

WASH situational analysis with service providers in Bawku District, Ghana.
WASH análise situacional com prestadores de serviços em Bawku District, Gana.
WaterAid

Onde estão as lacunas?

Refletindo sobre as discussões, sentimos que era óbvio que existem lacunas dentro do atual sistema de descentralização. Esse sentimento estava mais relacionado com a implementação das políticas facilitadoras de descentralização do que com as próprias políticas, dado que a estrutura de descentralização do Gana tornou-se um modelo para vários outros países africanos. A questão então é: porque é que uma política tão perfeita, projetada por um país com experiência do problema, se tornaria tão difícil de se atualizar no terreno por aqueles que a projetaram enquanto outros países o fazem funcionar?

A questão da capacidade (recursos humanos e financeiros) para implementar políticas e programas WASH a nível do governo local ainda é um desafio fundamental para o fracasso do conceito de descentralização em Gana. Mas há muito mais do que apenas capacidade. Simplesmente, a maioria dos MDA não prioriza os problemas de desenvolvimento do WASH o suficiente. Intimamente ligada a isso está a falta de vontade política e compromisso de entregar.

O governo central é frequentemente culpado pelo fracasso de políticas e programas, mas os ministérios, departamentos e agências (MDAs), bem como os MDAs, devem fazer a sua parte e garantir que o planeamento nacional, o orçamento e a implementação da agenda de desenvolvimento sejam todos feitos de forma a priorizar o desenvolvimento do WASH problemas.

Falar e manter em conta

A nossa solução “SMART” é a seguinte: quando obtivermos a liderança certa em todos os níveis, o planeamento e o orçamento priorizarão o WASH, o compromisso financeiro com o desenvolvimento do WASH estará certo e a implementação será um sucesso. Isso significa que os cidadãos precisam cuidar dos seus líderes políticos eleitos ou nomeados - executivos-chefes distritais e deputados - para garantir que representem os interesses das pessoas no desenvolvimento nacional.

É hora de acabar com a atitude e a postura tímida da maioria das pessoas, que, por respeito cultural, não levantariam a voz contra um líder, mesmo que o líder estivesse errado. Os cidadãos devem ser reposicionados para reivindicar o lugar central em toda essa arquitetura de descentralização – que pretende ser sobre eles – para exigir responsabilidade e desempenho de seus líderes.

Nesta jornada com os cidadãos para atender às suas necessidades de WASH, as OSC e os governos devem coordenar as atividades e harmonizar a comunicação, as tecnologias e as abordagens na prestação de serviços WASH para evitar a duplicação de esforços ou conduzir os cidadãos e garantir uma descentralização eficaz do serviço WASH. A responsabilidade coletiva por todas as partes interessadas é fundamental para garantir que todos em todos os lugares tenham acesso igual ao WASH até 2030.

Seyram tweeta como @seyrama e Aicha tweeta como @ara_by.