De que forma os direitos humanos fortalecem os sistemas governamentais de acesso sustentável e equitativo à água, ao saneamento e à higiene?

4 min read
Government officials in Ethiopia discussing how to apply concepts from Making Rights Real in their work.
WaterAid/Serawit Atnafu

O acesso à água e ao saneamento são direitos humanos, mas esse estatuto faz alguma diferença em relação à forma como esses elementos essenciais são prestados nos serviços públicos? Louisa Gosling analisa como nossa abordagem Making Rights Real está ajudando as autoridades governamentais a enfrentar os desafios para trazer água, saneamento e higiene para todos, em todos os lugares.

A ONU reconheceu o acesso à água e ao saneamento como direitos humanos em 2010, exigindo a aplicação dos princípios da igualdade, participação, responsabilização, sustentabilidade e acesso à informação sobre serviços de água e saneamento.

Mas que valor acrescenta ao usar uma abordagem de direitos humanos para trabalhar na melhoria do acesso ao WASH (água, saneamento e higiene)? Em particular, que diferença faz para os funcionários do governo local? Estes são os portadores de dever na linha de frente; eles têm a responsabilidade mais imediata de implementar os direitos à água e ao saneamento, e são mais acessíveis aos detentores dos direitos que vivem na sua área e às organizações da sociedade civil que trabalham com pessoas para ajudá-los a reivindicar seus direitos.

Desenvolvemos a abordagem Making Rights Real 2015, entrevistando funcionários do governo local em 12 países sobre seus desafios e aspirações e o que os motiva a tentar alcançar todos com os serviços WASH. O resultado foi um conjunto de materiais para ajudar a orientar as discussões entre funcionários do governo local e atores da sociedade civil, de forma a promover uma colaboração mais construtiva para ajudar a alcançar o acesso universal.

Desde então, utilizamos os materiais em três países, como parte de programas mais amplos.

Civil society organisations at a workshop in Bhutan preparing to use Making Rights Real
Organizações da sociedade civil no Butão preparam-se para usar Tornar os Direitos Reais.
UTS - ISF/Simone Soeters

Fortalecimento dos sistemas na Etiópia

Aplicamos uma abordagem de fortalecimento de sistemas, trabalhando de diferentes maneiras para ajudar o governo a transformar o ambiente propício (instituições, políticas, infraestrutura e recursos em torno dos serviços WASH) para garantir que os serviços e comportamentos sejam inclusivos e sustentáveis.

O material Making Rights Real, traduzido nas línguas locais, ajudou a orientar as discussões com funcionários do governo local em regiões que enfrentam graves limitações de capacidade e recursos. Ajudaram-nos a refletir sobre os desafios e a compreender as suas funções e responsabilidades.

Os responsáveis discutiram sobre como poderiam beneficiar como indivíduos com a adoção dos princípios dos direitos humanos. Perceberam que isso poderia ajudá-los a recorrer a outros para obter apoio para a capacidade e recursos; poderia ajudar a melhorar a capacidade de resposta do governo local às exigências das pessoas; e que, por sua vez, isso iria apoiá-los na resolução de problemas para fazer o melhor uso dos escassos recursos.

Praticar compromisso constitucional no Burkina Faso

O nosso objetivo é ajudar a pôr em prática o compromisso constitucional do Governo para com a concretização dos direitos humanos à água e ao saneamento.

O programa baseia-se na análise de como os direitos humanos são articulados nos quadros jurídicos e políticos nacionais, o nível de conhecimento sobre os direitos e as plataformas e oportunidades de engajamento entre funcionários do governo e pessoas. Envolve o desenvolvimento da capacidade das comunidades e autoridades em diferentes níveis sobre os direitos humanos à água e ao saneamento e o que isso significa em termos de papéis e responsabilidades.

Defender as pessoas com deficiência na Índia

Apoiámos a Missão de Swachh Bharat no seu trabalho para levar o saneamento a todos no país, especialmente aqueles que correm o risco de ficarem esquecidos.

No estado de Orissa, trabalhámos com organizações da sociedade civil que defendem os direitos das pessoas com deficiência. O material Making Rights Real ajudou a orientar a discussão no sentido de uma maior colaboração na resolução de problemas. Uma avaliação da intervenção mostrou que a ferramenta encorajou os funcionários do governo local a reconhecerem a sua responsabilidade de ter em conta a deficiência, a fim de prestarem serviços a todos. Em seguida, identificaram e mobilizaram recursos existentes que poderiam ser utilizados para desenvolver serviços de WASH que todos utilizam.

Desbloquear o progresso do WASH em todo o mundo

Os materiais foram desenvolvidos por um consórcio de organizações incluindo a WASH United, UNICEF, End Water Poverty, Institute of Sustainable Futures – University of Technology Sydney (UTS-ISF) e Simavi. Juntos, apoiamos organizações na utilização de Making Rights Real, e trabalhamos para melhorar continuamente a abordagem com base em experiências de implementação.

Os parceiros SIMAVI DORP estão atualmente a usar os materiais no Bangladexe, e o ISF está a apoiar a SNV para usar a abordagem com funcionários do governo no Butão. Em todos estes casos, estamos a ver sinais de que as conversas estão a ajudar a remover alguns dos bloqueios comuns para o progresso do WASH ao nível do governo local.

Encorajamos outros a seguirem esta abordagem, utilizando os materiais e as diretrizes disponíveis em making-rights-real.org

Junte-se a nós no dia 25 de agosto , na Semana Mundial da Água de Estocolmo para saber mais sobre os exemplos da Etiópia, do Butão e do Bangladexe, e discutir sobre como os princípios de direitos humanos podem ajudar os decisores locais e nacionais a fornecer acesso inclusivo e equitativo à água e ao saneamento.

Louisa Gosling é Gestora de Programas de Qualidade da WaterAid Reino Unido @LouisaGosling1. Ela escreveu este artigo com contributos de Tseguereda Abraham, Landry Ouangre @landryouangre e Bikash Pati @BikashKPati da WaterAid, e Hannah Neumeyer da WASH United.