Higiene das mãos: crucial para controlar a COVID-19 e prevenir futuras pandemias

10 min read
WaterAid/ Tapas Paul

Lavar as mãos com sabão é a primeira linha de defesa contra a COVID-19 e vital para prevenir a propagação de muitas outras doenças que sobrecarregam a saúde global. Om Prasad Gautam, Gestor Sénior de WASH para a Higiene da WaterAid Reino, discute a importância da higiene das mãos para conter a COVID-19 e prevenir futuras pandemias.

Este é um Dia Global de Lavagem de Mãos como nenhum outro. A pandemia de COVID-19 destacou numa escala verdadeiramente global o papel crítico da higiene das mãos na prevenção e redução da propagação de doenças. Para 2020, este dia dedicado a defender a lavagem das mãos com sabão para a saúde, a mudança de políticas e estratégias e uma maior prioridade e investimento em programas de desenvolvimento sustentável assumiu ainda maior importância.

Uma das intervenções de saúde pública mais económicas, a higiene — mais especificamente, a higiene das mãos — tem sido uma primeira linha de defesa contra a COVID-19 , ajudando a salvar milhões de vidas em todo o mundo. Embora a lavagem das mãos permaneça na vanguarda da saúde pública e da consciencialização, temos de aproveitar esta oportunidade para agir em conjunto para mudar os comportamentos de higiene das pessoas, para uma geração e em grande escala.

Este ano, sob o tema "Higiene das Mãos para Todos", comemoramos a higiene das mãos como parte central da resposta à COVID-19 e desenvolvimento de programas. Apelamos à priorização de programas de mudança de comportamento sustentáveis a longo prazo a todos os níveis, para conter a COVID-19, prevenir outras doenças transmissíveis, incluindo doenças diarreicas, e evitar futuras pandemias.

Sunita Kharel, uma enfermeira parteira auxiliar sénior do Bhumlutaar Health Post, usa uma estação de lavagem de mãos sem contacto em Kavre, Nepal. Setembro 2020.
Sunita Kharel, uma enfermeira parteira auxiliar sénior do Bhumlutaar Health Post, usa uma estação de lavagem de mãos sem contacto em Kavre, Nepal. Setembro 2020.
WaterAid/Mani Karmacharya

De que forma é que a higiene das mãos está ligada à COVID-19?

A COVID-19 é transmitida principalmente através de gotículas respiratórias e rotas de contato, através de contato próximo com indivíduos infetados, tosse e espirros. Além do contato direto, as gotículas podem pousar nas mãos, objetos ou superfícies ao redor da pessoa, expondo outras pessoas ao vírus se tocarem nesses objetos e depois nos seus olhos, nariz ou boca, ou usarem mãos contaminadas para comer. O sabão destrói a membrana externa do vírus, desativando-o e impedindo a propagação.

Lavar as mãos com sabão previne surtos de doenças e pandemias

A falta de boas práticas de higiene das mãos permite a transmissão e surtos de doenças, mantendo as crianças longe da escola, impedindo que os adultos trabalhem, colocando as pessoas mais vulneráveis no hospital e colocando as instituições como as escolas e as instalações de saúde em risco de serem centros de infeção. A lavagem simples das mãos com sabão está associada a:

A higiene rigorosa, incluindo a lavagem das mãos, é crucial na redução da transmissão de patogénios relacionados com o surto; ajuda a prevenir a propagação da cólera, ebola, xiguelose, SARS, hepatite E, doenças tropicais negligenciadase COVID-19.

A higiene das mãos é uma intervenção economicamente eficaz

Lavar as mãos com sabão é uma das intervenções de saúde pública mais eficaz em termos custos na redução da carga global de doenças infeciosas, custando apenas US$ 3 por ano de vida ajustado por incapacidade (DALY) evitado.

Vários estudos sugerem que reduções nas doenças diarreicas e infeções respiratórias agudas resultantes de programas de mudança de comportamento destinados à lavagem das mãos com sabão podem trazer grandes ganhos económicos – por exemplo, retorno líquido de US$ 5,6 mil milhões na Índia ($23 por AVAI evitado) e US$ 2,6 mil milhões de retorno ($22 por AVAI evitado) na China. A Iniciativa Nacional de Higiene das Mãos da Austrália foi considerada eficiente economicamente em comparação com um limiar australiano de AU$ 42.000 por ano de vida ganho.

Tornar a lavagem das mãos parte dos programas de desenvolvimento é, portanto, uma forma económica de reduzir a carga da doença, prevenir pandemias atuais e futuras e ajudar a alcançar os muitos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável para os quais é crucial.

Por que motivo a higiene das mãos continuou deficiente?

Falta de instalações e hábitos

Globalmente, 40% das famílias não têm instalações para lavar as mãos com água e sabão, e apenas 19% das pessoas lavam as mãos com sabão após defecar. Embora mais pessoas possam praticar uma boa higiene das mãos devido ao medo da COVID-19, a experiência passada e as evidências mostraram que isso pode ser apenas um estímulo temporário.

Da mesma forma, 43% das instalações de saúde não têm instalações básicas de lavagem das mãos com sabão e água em pontos de atendimento, e 47% das escolas nos países em desenvolvimento não têm instalações de lavagem das mãos. Isso significa que 900 milhões de estudantes não têm onde lavar as mãos com sabão enquanto estão na escola. Os dados mostram enormes disparidades entre ambientes de rendimentos baixos e altos e entre locais urbanos e rurais. Sem instalações, as pessoas não podem aspirar a praticar uma higiene adequada, e a sua saúde está em risco.

Falta de priorização do setor

Apesar da relação custo-eficácia e o alto impacto na saúde, a higiene das mãos ainda era negligenciada até a pandemia. Embora o reconhecimento da importância da mudança de comportamento sustentada esteja a crescer, ainda é altamente negligenciada pelos setores de WASH (água, saneamento e higiene), saúde, educação e nutrição. Isto manifesta-se em intervenções focadas no conhecimento; posicionamento da higiene como uma atividade complementar; conceção de intervenções com base no pensamento especializado; implementação em silos de programas de higiene; falta de coordenação e financiamento dedicados; e mecanismos de monitorização focados na produção em vez de sustentados na mudança de comportamento.

A manutenção do status quo não será possível no novo normal trazido pela COVID-19. É necessária uma mudança radical na forma como a higiene é considerada nos programas em curso em todos os setores e deve ser analisada na perspetiva da mudança de sistemas.

A Troupe Djonkala de Bla interpreta uma peça organizada pela WaterAid para dar vida à importância da higiene e do saneamento, em Toukoro, Cercle de Bla, Mali. Abril 2018.
A Troupe Djonkala de Bla interpreta uma peça organizada pela WaterAid para dar vida à importância da higiene e do saneamento, em Toukoro, Cercle de Bla, Mali. Abril 2018.
WaterAid/ Guilhem Alandry

Como podemos tornar eficazes as intervenções de higiene das mãos?

Os programas de mudança de comportamento de higiene das mãos têm mais probabilidades de serem eficazes se os projetos de intervenção seguirem um processo sistemático e se se basearem em provas científicas comportamentais. É importante abordar os principais determinantes comportamentais e utilizar as emoções das pessoas, baseando as caraterísticas específicas nas avaliações.

É importante notar que o método educativo de promover a higiene das mãos não é suficiente – a informação por si só não leva a uma mudança sustentada do comportamento de higiene das mãos. As intervenções devem ser concebidas para serem específicas do contexto, inclusivas e apelativas, motivando as pessoas e alterando o seu ambiente físico para estimular e reforçar os comportamentos. Por exemplo, colocar produtos comportamentais tais como instalações de lavagem das mãos com água e sabão em locais-chave facilita os comportamentos, e, combinado com sugestões e estímulos, faz com que as pessoas sejam mais propensas a praticar comportamentos.

As intervenções devem ser realizadas através do mecanismo institucional correto, para que as capacidades construídas possam ser mantidas. E a monitorização contínua é essencial para entender se, por que e como os programas em curso são eficazes e adaptá-los quando necessário.

Teachers in La, Accra, playing a ball game as part of human rights based approach training by WaterAid Ghana.
O WASH Rights in Schools, a WaterAid Ghana fez um workshop de formação de formadores de escolas básicas em La, Acra. A sensibilização em direitos humanos e a formação em advocacia aprofundarão a compreensão dos professores das obrigações dos garantidores do cumprimento dos direitos WASH dos alunos.
WaterAid Ghana

Usar a experiência para priorizar a higiene das mãos na resposta à COVID-19

Promovemos sempre a lavagem das mãos com sabão como uma das intervenções de saúde pública mais económicas na redução da sobrecarga global das doenças infeciosas. Agora, estamos a posicionar a lavagem das mãos, juntamente com outros comportamentos-chave, como a primeira linha de defesa para restringir a pandemia de COVID-19 e proteger as pessoas.

Estamos a tirar partido dos nossos anos de experiência na implementação de programas de mudança de comportamento à escala e específicos do contexto. Trabalhando com governos e através de parcerias, utilizando uma abordagem centrada no comportamento e baseada em evidências, chegamos a 99 milhões de pessoas em todos os países onde trabalhamos no Sul da Ásia, na África e na América Latina.

Para motivar as pessoas e aderir às melhores práticas, usamos uma variedade de materiais promocionais de mudança comportamental atrativos e emotivos em meios de comunicação e redes sociais, visitas domiciliares e outros métodos sem contacto para evitar a contaminação cruzada. Esses recursos tiram partido das emoções e vão além da consciencialização. Leia sobre exemplos da nossa resposta.

Para oferecer às pessoas a oportunidade imediata de praticar uma boa higiene e limitar a contaminação cruzada, projetamos e implementamos instalações de lavagem de mãos inclusivas específicas e contextuais em locais públicos. Veja o nosso guia técnico para instalações de lavagem de mãos em locais públicos e instituições para exemplos. A nível doméstico, estamos a promover soluções de lavagem de mãos localmente viáveis.

Utilizamos uma abordagem baseada nos direitos em tudo o que fazemos, e concentramo-nos em atingir populações marginalizadas, vulneráveis e socialmente excluídas. A aplicação de princípios de equidade e inclusão, a adoção de uma abordagem exaustiva e sistemática e a utilização da criatividade e das evidências permitem que os nossos programas produzam uma mudança de comportamento sustentável a longo prazo nas comunidades, mesmo nestes tempos de desafio. Leia o nosso artigo sobre como tornar as respostas de higiene inclusivas.

Na segunda fase da nossa resposta (dependendo da transmissão da doença), continuaremos a aumentar as campanhas baseadas na comunidade, mantendo ao mesmo tempo as nossas campanhas mais amplas nos meios de comunicação social. Com financiamento adicional de parceiros – incluindo o Foreign Commonwealth and Development Office do Reino Unido e a Unilever como parte da iniciativa Hygiene Behaviour Change Coalition (HBCC), várias fundações e organizações do setor privado, e doadores individuais –, estamos a intensificar os nossos esforços em muitos países, ampliando a resposta para uma mudança sustentável a longo prazo. E estamos tornando nossa resposta progressiva, gerando e analisando evidências em detalhes à medida que avançamos.

Higiene das mãos para prevenir futuras pandemias

Os programas de mudança de comportamento de higiene sustentável (incluindo a higiene das mãos) devem ser parte integrante de qualquer agenda de desenvolvimento, incluindo a contenção de COVID-19 e a prevenção de futuras pandemias. Continuaremos a defender a sua importância e a demonstrar o seu impacto através dos nossos programas.

Continuaremos a rever e a conceber intervenções específicas ao contexto, inovadoras, criativas, baseadas em evidências, e a concentrar-nos na mudança de comportamentos higiénicos-chave para maximizar o impacto e influenciar as políticas. Reforçaremos as capacidades dos nossos intervenientes, incluindo governos, parceiros e pessoal, para conceber, implementar e avaliar uma programação robusta de higiene utilizando a abordagem de Design Centrado no Comportamento Baseado em Evidências. Apoiaremos iniciativas globais e locais no sentido de uma "higiene das mãos para todos".

Nossas parcerias estratégicas com governos, instituições públicas, academia, setor privado e sociedade civil apoiam melhorias de higiene sustentável em larga escala, concentrando-se no fortalecimento dos sistemas, coordenação e financiamento efetivos do setor, ao mesmo tempo em que implementam programas de mudança de comportamento. Incitaremos os governos, os doadores e todos os setores relevantes a investirem e priorizarem a higiene, incluindo a higiene das mãos.

Um menino a lavar as mãos numa estação de lavagem de mãos sem contacto durante a entrega de instalações de lavagem das mãos para centros de exame na comuna de Manjakandriana, Madagascar, agosto de 2020.
Um menino a lavar as mãos numa estação de lavagem de mãos sem contacto durante a entrega de instalações de lavagem das mãos para centros de exame na comuna de Manjakandriana, Madagascar, agosto de 2020.
WaterAid/ Ernest Randriarimalala

Uma vacina contra a COVID-19 deve ser emparelhada com programas de mudança de comportamento de higiene

Muitas vezes há uma crença de que as vacinas são balas de prata. Muitas iniciativas estão em andamento para encontrar uma solução de vacina, para a qual muitos governos e doadores estão comprometendo financiamento. Embora uma vacina bem-sucedida seja um marco importante na pandemia e salve milhões de vidas e muitas economias, é imperativo notar que a extensão da eficácia da vacina e eficácia das vacinas candidatas está longe de ser certa.

Nem todas as vacinas existentes para doenças evitáveis são 100% eficazes e eficientes, e poucas doenças podem ser completamente erradicadas. A higiene mantém-se, portanto, incrivelmente importante, com ou sem uma vacina. Embora o financiamento de vacinas seja essencial para responder à necessidade imediata desta pandemia, o investimento futuro deve ser em "vacina + higiene".

A higiene em conjunto com a administração de vacinas tem um efeito cumulativo na prevenção da propagação de doenças, incluindo coronavírus (embora sejam necessárias mais evidências específicas para a COVID-19). Mostrámos as possibilidades de integrar a higiene nos programas nacionais de imunização através do nosso trabalho no Nepal.

Um esforço coletivo e global

A conceção, implementação e avaliação eficaz de programas de mudança de comportamento requer uma abordagem multidisciplinar. Para o conseguir em escala, será necessário um esforço coletivo de governos, agências doadoras, ONG, organizações comunitárias, setor privado, academia e sociedade civil do setor.

Alcançar uma higiene das mãos sustentável para todos requer uma mudança gradual em programas transformadores, mas inclusivos, focados em mudanças de comportamento em escala. Aprendemos muito, antes e durante a pandemia de COVID-19 – e, mais importante ainda, continuamos a aprender. Através de programas robustos de mudança de comportamento de higiene, incluindo a higiene das mãos em todas as iniciativas, juntos podemos usar a lavagem das mãos com sabão para reduzir a propagação do vírus, prevenir futuras pandemias e transformar a saúde global.

Om Prasad Gautam é Gestor Sénior de WASH – Higiene na WaterAid Reino Unido. Siga-o no Twitter em @OmPrasadGautam.