O investimento em água, saneamento e higiene faz sentido comercialmente?

5 min read
Thumbnail
WaterAid/Abir Abdullah

Bina (acima) trabalha na plantação de Gulni em Sylhet, no Bangladeche, e ganha aproximadamente 70 pence por dia. Em 2010, a WaterAid e o parceiro local IDEA iniciaram um projeto em colaboração com o proprietário da plantação de chá para melhorar o acesso às instalações de água, saneamento e higiene (WASH) nas plantações de chá e nas áreas circundantes.

Antes do projeto, Bina tinha de andar durante horas, todos os dias, para ir buscar água a um poço. Costumava faltar vários dias ao trabalho por motivo de doença e, por isso, não recebia. Perdia ainda mais dias de trabalho quando tinha de ficar em casa a cuidar dos filhos com diarreia ou disenteria. Desde que passou a ter acesso a bombas de água e latrinas nos jardins, a qualidade de vida de Bina melhorou consideravelmente. Para além disso, os proprietários das plantações puderam concluir que as suas empresas também beneficiam com o acesso dos trabalhadores a WASH.

O WASH é fundamental para os direitos humanos, para a saúde e a dignidade dos trabalhadores, e há um número crescente de estudos de caso que demonstram que o acesso a WASH é um fator importante, que afeta a capacidade de uma empresa prosperar.

As doenças transmitidas pela água diminuíram, por isso pagamos menos baixas por doença. A eficácia aumentou, decididamente.

Gestor de plantação de chá

O desafio global e o papel das empresas

O Fórum Político de Alto Nível da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável (HLPF), em julho de 2018, foi palco de "revisões aprofundadas" do progresso global face aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável selecionados. O objetivo 6 (água potável e saneamento para todos) foi um dos objetivos em análise, e tornou-se muito claro que "o mundo não está no caminho certo" para atingir esse objetivo até 2030 (com o aumento da poluição global da água doce e o stress hídrico a contribuir ainda mais para perturbar o progresso).

A importância da boa governação e das parcerias foi destacada pelos delegados do HLPF como componente-chave para o progresso rumo aos ODS 6. O relatório de impacto do "WASH Pledge" da WBCSD destaca a importância da água como um risco e uma oportunidade para as empresas. O relatório elogiou as 47 empresas que já se comprometeram com o "WASH Pledge", mas apela a mais empresas para que assinem este compromisso a fim de alargar o seu alcance e impacto.

Algumas empresas começam a reconhecer que há benefícios comerciais e que se justifica investir em WASH por outros motivos que não os compromissos morais das empresas de investir e contribuir para os direitos humanos, saúde e segurança de trabalhadores como a Bina nas plantações de chá.

A análise de dados da WaterAid e da CDP, realizada em 2018 e que analisou três anos de dados sobre a água da CDP, destaca os potenciais benefícios comerciais do investimento em WASH. A análise revela alguns dos impulsionadores da ação corporativa, que incluem riscos relacionados com o WASH tanto nas operações diretas, como nas cadeias de abastecimento; oportunidades relacionadas com WASH; e ligações diretas entre intervenções de WASH e realização do ODS 6. A análise também destaca a necessidade de um maior volume de dados claros que demonstrem o caso de negócios.

As empresas podem contribuir para o caso de negócios a favor do WASH

O relatório conjunto de 2017 da WBCSD, da WaterAid e do CEO Water Mandate destaca claramente que existem dados insuficientes para criar um caso convincente para a ação empresarial. O caso social, moral e macroeconómico para o investimento em WASH é óbvio, mas a nível das empresas, as evidências mantêm-se, em grande parte, pontuais e não quantificadas. Para impulsionar a ação à velocidade necessária para atingir a meta de 2030, precisamos de evidências mais robustas que demonstrem o valor financeiro para as empresas de investir em WASH.

Em resposta, foi desenvolvido um novo guia prático lançado a 23 de agosto de 2018, apoiado pelos parceiros de negócios da WaterAid, Diageo, Gap Inc. e Unilever, e aprovado pela WASH4Work. O guia irá ajudar as empresas a fornecer evidências dos benefícios e do valor financeiro, ou retorno sobre o investimento (ROI), das suas intervenções de WASH, e defender um maior investimento em WASH nas empresas e além delas. Este guia representa uma oportunidade para as empresas progressistas liderarem e demonstrarem os incentivos ao investimento empresarial em WASH, ao mesmo tempo que estimula a ação.

Lançado na semana mundial da água em Estocolmo, na Suécia, o guia apela a que executores e empresas de WASH testem, aprendam com o mesmo e partilhem os seus resultados connosco. Iremos desenvolver uma comunidade de aprendizagem através da WASH4Work e tencionamos compilar os dados e partilhar um caso de negócios consolidado, a seu tempo.

Este guia é uma ferramenta essencial para fortalecer o caso de negócios para o investimento em água potável e saneamento nas nossas cadeias de abastecimento – para que todos possamos intervir e desempenhar o nosso papel.

Michael Alexander, diretor de sustentabilidade de água, ambiente e agricultura na Diageo.

Estamos orgulhosos do nosso trabalho com outros líderes do setor privado para fortalecer o caso de negócios para o investimento em WASH no local de trabalho. Esperamos poder mobilizar mais empresas.

Melissa Fifield, diretora sénior de sustentabilidade global da Gap Inc.

Encorajamos as empresas a usar este guia e a partilhar as suas aprendizagens para que juntos, possamos avançar no caso de negócios, alavancando a ação em termos de WASH.

Eric Ostern, diretor de parcerias globais e defesa na Unilever.

Algumas empresas já se comprometeram a testar o guia – o HSBC irá testar o caso de negócios com a WaterAid em cadeias de abastecimento de vestuário na Índia e no Bangladeche, ao longo dos próximos três anos, e a Diageo irá testar o caso de negócios com a WaterAid em cadeias de abastecimento agrícolas na Etiópia. A Gap Inc. e a Unilever também estão atualmente a explorar opções para testar o guia.

Para que sejam feitas mudanças reais, mais empresas precisam de contribuir para o teste e alargar os seus investimentos em WASH no local de trabalho, nas comunidades e nas cadeias de abastecimento.

Se tiver interesse em testar o guia ou apenas quiser saber mais, junte-se a nós para debatê-lo num evento no âmbito da semana mundial da água: "Mobilising Business Action with tools and guidance to scale up action", que terá lugar na quinta-feira, 30 de agosto, 09h–10h30, Pillar Hall, Estocolmo, Suécia. Transfira o guia aqui.

Isto foi publicado pela primeira vez a 27 de agosto de 2018, em ipsnews.net/2018/08/making-case-investing-water-sanitation-hygiene/