Uma abordagem de reforço dos sistemas para melhorar os comportamentos de higiene

6 min read
Thumbnail
WaterAid/Mani Karmacharya

Garantir que as pessoas desfrutam de todos os efeitos da melhoria do acesso à água potável, requer trabalho para permitir manter comportamentos de higiene melhorados. Om Prasad Gautam e Hannah Crichton-Smith explicam como a higiene e a mudança de comportamento são fundamentais para todo o trabalho de fortalecimento do sistema da WaterAid.

Descobrindo que repetir mensagens focadas em germes e os benefícios para a saúde das boas práticas de higiene não estava funcionando, WaterAid deixou para trás abordagens de higiene educacional baseadas no conhecimento. Em vez disso, adotamos abordagens de design centradas no comportamento e integramos a mudança de comportamento de higiene em intervenções contínuas lideradas pelo governo para resultados sustentáveis.

Compreender e adaptar

Nesta abordagem, ouvimos as comunidades para compreender os seus fatores determinantes universais de comportamento – as suas motivações, razões e ambições. Trabalhámos depois com equipas criativas para conceber abordagens específicas, inovadoras e envolventes, que exploram estas motivações e razões para gerar uma mudança de comportamento de higiene positiva e duradoura..

Concentramo-nos na mudança de vários comportamentos-chave de higiene, como, por exemplo, a lavagem das mãos com sabão em momentos críticos, a gestão/eliminação segura e higiénica dos excrementos humanos, a gestão segura da água doméstica desde a fonte até ao ponto de consumo, a higiene alimentar, a higiene menstrual e a sua gestão nas comunidades, nas escolas, nas instalações de cuidados de saúde e nos contextos políticos.

É crucial que apoiemos os governos a aumentar a sua capacidade de executar, dar prioridade e atribuir financiamento para a mudança de comportamento higiénico e intervenções sanitárias, e a demonstrar com evidências até que ponto as campanhas de mudança de comportamento modernas, inovadoras e bem estudadas podem ser mais eficazes do que as intervenções tradicionais. Também trabalhamos com governos para integrar a mudança de comportamento higiénico noutros setores, como a saúde (vacinação, cuidados neonatais), nutrição e educação, e ajudar a construir (ou reforçar, onde já existem) sistemas de monitorização e avaliação para avaliar o estado dos comportamentos higiénicos e acompanhar o impacto das intervenções.

A criança a ser imunizada após a sessão de higiene no Posto de Saúde Jahada, Nepal.
Criança a ser vacinada no Nepal.
WaterAid/ Mani Karmacharya

Blocos estruturais para a sustentabilidade

Consideramos que uma coordenação e integração eficazes, um planeamento estratégico e investigação formativa, acordos institucionais funcionais, uma governação responsável, uma prestação de serviços e mudança de comportamento eficazes, sistemas sólidos de monitorização e avaliação e um financiamento sustentado são os blocos fundamentais ou as substâncias ativas necessárias para sustentar os serviços e comportamentos de WASH.

  • Para maximizar o impacto das intervenções de WASH, elas devem ser coordenadas e integradas em planos governamentais e outros esforços de desenvolvimento contínuos, como saúde (saúde infantil, imunização, HIV/AIDS, saúde materna e neonatal), nutrição e educação.
  • A investigação formativa deve gerar evidências para informar o projeto de intervenção de higiene e os planos estratégicos liderados pelo governo para todas as intervenções de WASH. Campanhas ou pacotes de higiene não devem ser concebidos apenas com a opinião de especialistas, mas sim através de um processo criativo, envolvendo equipas multidisciplinares e construídas com base em evidências.
  • São essenciais instituições fortes, com capacidade e recursos adequados para oferecer e sustentar intervenções de WASH de alta qualidade e reforçar comportamentos ao longo do tempo. Essas instituições devem ser apoiadas por políticas, normas, diretrizes e quadros que definam como as intervenções de água, saneamento e mudança de comportamento devem ser implementadas para benefícios sustentados. É isso que chamamos de arranjos institucionais.
  • Os prestadores de serviços devem ser responsabilizados pelas comunidades e pelo governo pela prestação de serviços de alta qualidade a padrões reconhecidos. Todos os cidadãos devem sentir-se habilitados a exigir e utilizar os serviços de forma responsável. Para resultados comportamentais sustentados, o comportamento pretendido deve ser enraizado como normas sociais e tanto o prestador de serviços como o cidadão devem ser proprietários do programa.
  • São necessários modelos e abordagens inovadoras que garantam a execução ae gestão efetivas contínuas dos serviços de água e saneamento e intervenções de mudança de comportamento de higiene para sustentar comportamentos e acesso aos serviços. Para alterar os comportamentos de higiene, a WaterAid visa explorar as motivações das pessoas e mudar o ambiente circundante através do fornecimento de produtos/instalações de higiene com lembretes visuais para promover uma prática de higiene melhorada. A repetição da entrega e exposição suficiente a intervenções consistentes de mudança de comportamento de higiene é vital para a prática de uma higiene sustentada.
  • É necessário um mecanismo de monitorização liderado pelo governo para avaliar os comportamentos atuais, monitorizar a conformidade e o alcance da intervenção, avaliar a sua eficácia e tomar decisões sobre investimentos futuros. No que diz respeito à mudança de comportamento de higiene, as observações estruturadas e as verificações pontuais são as melhores, enquanto os conhecimentos, comportamentos e normas sociais comunicados são frequentemente utilizados como indicadores intermediários.
  • Processos financeiros sólidos devem garantir que ofinanciamento seja adequadamente alocado e utilizado. As intervenções de mudança de comportamento devem ser integralmente custeadas, incluindo os salários contínuos dos promotores de higiene, a formação de reciclagem para os promotores da higiene, produtos comportamentais, instalações de higiene, etc.

A abordagem ABCDE

Para projetar, implementar e garantir mudanças de comportamento sustentadas, desenvolvemos uma abordagem de cinco passos (ABCDE):

  • Avaliar ("Assess") – determine o que é conhecido e desconhecido sobre os comportamentos atuais e desejados.
  • Construir ("Build") – preencha as lacunas de conhecimento através da recolha de dados através da pesquisa formativa.
  • Criar ("Create") – através de um processo criativo, participativo e usando resultados da pesquisa formativa, crie um pacote de promoção de higiene que inclua conceitos, materiais, ferramentas e atividades atraentes, surpreendentes e envolventes.
  • Fornecer ("Deliver") – execute a intervenção para que a população-alvo esteja suficientemente exposta (pelo menos, 4 a 6 vezes num ano) às atividades do programa.
  • Avaliar, monitorizar e adaptar ("Evaluate, monitor and adapt") – determine se as mudanças ambientais, psicológicas e comportamentais previstas foram alcançadas. Utilize as lições da intervenção para informar a conceção e os pacotes futuros do programa de mudança de comportamento de higiene.

Um ciclo contínuo de reflexão, aprendizagem e adaptação para melhorar iniciativas futuras sustenta a abordagem ABCDE. O trabalho a nível local é apoiado por esforços de influência e defesa nos níveis provincial, nacional e global para gerar mudanças transformadoras necessárias para comportamentos de higiene sustentados.

Voluntária de Saúde Comunitária Feminina Laxmi Khanal a liderar o jogo da roda da higiene durante uma sessão de higiene para mães no Posto de Saúde Jahada, Nawalparasi, Nepal.
Voluntária de Saúde Comunitária Feminina Laxmi Khanal a liderar o jogo da roda da higiene durante uma sessão de higiene para mães no Posto de Saúde Jahada, Nawalparasi, Nepal.
WaterAid/Mani Karmacharya

Exemplos do nosso trabalho

Embora não exista um plano para a mudança sustentada do comportamento higiénico, dois elementos são centrais: a determinação do governo e a liderança. Sem a adesão do governo, a vários níveis, o impacto de qualquer esforço de reforço do sistema será provavelmente de curta duração. 

Como muitos outros que trabalham na mudança de sistemas, a WaterAid está a aprender através da prática. Exemplos da forma como estamos a integrar a higiene no nosso trabalho de reforço dos sistemas incluem: o programa SusWASH (WASH sustentável) em quatro países; a integração da mudança de comportamento higiénico num programa de imunização de rotina no Nepal; a integração da higiene num programa de vacinação contra a cólera em Moçambique; a integração da higiene em estabelecimentos de saúde no Mali, no Maláui, na Etiópia e no Ruanda; e a integração da higiene no currículo escolar no Paquistão.

Continuaremos a registar e a partilhar a nossa experiência à medida que avançamos, e adaptaremos a nossa abordagem e enfoque conforme necessário.

Para obter informações sobre outras iniciativas de fortalecimento do sistema fora da WaterAid, consulte a Parceria de sistemas de WASH sustentável e a Agenda para a mudança .

Om Prasad Gautam é Gestor Sénior de WASH para a Higiene na WaterAid Reino Unido  @omprasadgautam Hannah Crichton-Smith é Oficial de WASH sustentável na WaterAid Reino Unido @hcrichtonsmith