Investir em água, saneamento e higiene para recuperação global e resiliência

WaterAid/Remissa Mak

Os principais países doadores do mundo reunir-se-ão como o Grupo dos 7 sob a Presidência do Reino Unido na Cornualha em junho, e como o Grupo dos 20 presidido pela Itália em outubro. À medida que as autoridades determinam a agenda dessas duas cúpulas, oferecemos as seguintes recomendações para garantir que a água, o saneamento e a higiene (WASH) façam parte da agenda global de recuperação do COVID-19 e resiliência às alterações climáticas.

A combinação devastadora de alteraçlões climáticas e a pandemia de COVID-19 ameaça vidas e meios de subsistência em todo o mundo, com um impacto desproporcional caindo sobre as pessoas mais pobres do mundo. Essas ameaças, exacerbadas pelo aumento das desigualdades e pela iminente crise da dívida, destacam falhas sistémicas na nossa economia global.

Agora temos uma oportunidade crítica de mudar para economias mais saudáveis e sustentáveis e sociedades equitativas que funcionam tanto para pessoas quanto para o planeta. Em 2021, mais do que qualquer outro ano, a comunidade internacional espera que os governos mais poderosos do mundo se cheguem à frente - estabelecendo planos ambiciosos e abrangentes para enfrentar os impactos contínuos e desiguais do COVID-19 e das crises climáticas.

Como o G7 e o G20 traçam uma agenda ambiciosa para a recuperação da pandemia do COVID-19 - enquanto se comprometem a mitigar e se adaptar às alterações climáticas - é essencial que os seus esforços olhem além das suas próprias fronteiras para proteger o nosso bem-estar coletivo. O fortalecimento da prestação de serviços essenciais, como o WASH, nas comunidades mais vulneráveis, constrói resiliência às mudanças climáticas, pandemias futuras e ameaças à saúde globais emergentes, como resistência a antimicrobianos.

Chamamos as cimeiras do G7 e do G20 2021 para:

  • Terminar a pandemia do COVID-19 promovendo uma implantação equitativa de vacinas de mãos dadas com mudança de comportamentos de higiene.
  • Integrar o WASH em planos globais de preparação para a pandemia e a reforma da arquitetura global de saúde.
  • Fornecer financiamento catalítico, com uma contribuição inicial de pelo menos US $1,2 bilhão, para iniciar o acesso universal ao WASH em instalações de saúde nos países menos desenvolvidos (PMA).
  • Fornecer financiamento internacional novo e adicional para adaptação climática, especialmente para projetos liderados localmente, que ajudam a atender as necessidades básicas das comunidades mais afetadas - incluindo o acesso ao WASH.
  • Comprometer-se com um pacote de financiamento de recuperação de emergência composto por alívio e reestruturação abrangentes da dívida; uma nova emissão e realocação de pelo menos US $1 trilhão em direitos de saque especiais; cumprimento de compromissos para gastar 0,7% do rendimento nacional bruto em ajuda; e fontes inovadoras de finanças públicas internacionais.

Imagem superior: Sokha a lavar as mãos em frente ao centro de saúde de Thlork Vien, Chhouk Village, Thlork Vien Commune, província de Kampong Chhnang, Camboja.