Saneamento no sul da Ásia: fortalecimento do financiamento municipal para a prestação de serviços sustentáveis em cidades pequenas

WaterAid/HSBC/Habibul Haque

O Bangladesh, a Índia e o Nepal melhoraram significativamente os serviços de saneamento básico para as pessoas que não têm acesso a ele. No entanto, a gestão o seguro dos resíduos sanitários ainda está a dar os primeiros passos.

Fornecer serviços de saneamento seguros e inclusivos em toda a cadeia de serviços requer um investimento considerável. As cidades devem ser capazes de angariar, distribuir e gerir as finanças necessárias para construir a infraestrutura física, operar e gerir serviços de saneamento a longo prazo, e fortalecer as capacidades e instituições necessárias para fornecer serviços de saneamento inclusivos de forma sustentável.

Este relatório da Athena Infonomics e da WaterAid investiga as dificuldades de financiar o saneamento em pequenas cidades do sul da Ásia. O estudo documenta boas práticas no financiamento do saneamento urbano, usando seis pequenas cidades como estudos de caso: Jhenaidah e Sakhipur no Bangladesh; Dhenkanal e Sircilla na Índia; e Mahalaxmi e Birtamod no Nepal. Os estudos de caso oferecem lições sobre como outras cidades podem melhorar a sustentabilidade dos seus serviços de saneamento.

Este estudo tem como objetivo aumentar a consciencialização sobre:

  • A importância de investir adequadamente nos serviços de saneamento municipal
  • A necessidade de múltiplas fontes de financiamento, incluindo taxas, tarifas e financiamento público, tanto via receita arrecadada ao nível municipal quanto via fundos transferidos por governos nacionais e subnacionais
  • O facto de que a reutilização (a venda de produtos finais, como composto) pode ajudar a compensar os custos de execução dos serviços – mas apenas numa pequena percentagem

Imagem superior: Um menino caminha até as novas latrinas higiénicas na área de Alokdia Abason em Paikgasa, Khulna, Bangladesh. Outubro de 2019.