Poucas alterações climáticas: dinheiro, água e as pessoas na linha da frente

Posted by
WaterAid
in
Alterações climáticas, Finanças
WaterAid/ DRIK/ Habibul Haque

Em nenhum lugar, está a ser gasto do dinheiro suficiente nas alterações climáticas, e os baixos níveis de financiamento alocados não estão a ser direcionados para ajudar os países mais afetados a lidar com os efeitos, colocando milhares de milhões de vidas em risco.

A nossa análise global dos dados sobre financiamento climático, acesso à água e vulnerabilidade climática mostra que metade dos países recebe menos de 4 libras por pessoa por ano em financiamento climático para mitigação e adaptação combinados. Alguns dos países mais vulneráveis recebem significativamente menos.

O acesso à água potável é uma defesa de primeira linha contra as alterações climáticas, e os países mais vulneráveis às alterações climáticas têm alguns dos níveis mais baixos de acesso à água limpa. No entanto, a nossa investigação descobriu que metade dos países onde mais de 1 em cada 10 pessoas não têm água perto de casa recebem menos de 77 pence por pessoa por ano em financiamento climático para adaptação ao serviço de água, saneamento e higiene (WASH).

Apelamos a um rápido aumento de dez vezes no financiamento climático gasto na obtenção de água potável e sustentável para as pessoas atualmente obrigadas a viver sem ela, aumentando a sua capacidade de lidar com os efeitos das alterações climáticas.

São aqueles que menos fizeram para contribuir para o aquecimento global provocado pelo homem que estão a carregar o maior fardo das alterações climáticas. Para as pessoas mais pobres, os efeitos mais imediatos e difundidos são sentidos através da água – secas extremas, aumentos do nível do mar, vastas inundações e tempestades poderosas – estes eventos climáticos imprevisíveis que multiplicam a pressão sobre as fontes de água já sobrecarregadas.